quarta-feira, 29 de julho de 2020

Opinião: O mundo pertence aos que cooperam



Esse mundo existe?


Por Jean Sigel


O ano era 2015. A Escola de Criatividade fez parte da curadoria de conteúdo e experiência criativa para um grande evento da CNI (Confederação Nacional da Indústria), em Brasília. Auditório lotado com dois mil empresários para a fala do palestrante mais esperado e que encerraria o evento. Tratava-se do ex-presidente americano, Bill Clinton. Entre mensagens de otimismo e união dos empresários em meio a grave crise política e econômica que o país atravessava naquele ano, ele dava grande destaque a uma frase que citava quase como um mantra ao longo do discurso. “O mundo pertence aos que cooperam”. Nesse momento olhei pra minha sócia e cochichei ao ouvido: “Finalmente algum líder está falando uma verdade direta e corajosa a tantos empresários”.

Antes de encerrar sua fala, o ex-presidente fez questão de ressaltar que o melhor livro sobre política e estratégia lido por ele, “A conquista social da terra”, foi escrito por um entomologista americano, Edward Osborne Wilson, que fala sobre a forma como abelhas, formigas e o ser humano conseguem avançar em suas sociedades justamente por meio da cooperação.

A fala nos remeteu às tantas cooperativas de diferentes setores que atendemos com treinamentos e eventos e que possuem em seu código genético esse mundo no qual o ex-presidente se referia. Nesses anos todos muito próximo delas, desde cooperativas de crédito, saúde, agro e outras, chegamos a conclusão que não só temos ensinado, como também aprendido e muito com elas. Diria que uma troca cooperativa de sabedoria e propósito.

Desde que conhecemos esse mundo do cooperativismo, e das pessoas que cooperam por objetivos e propósitos comuns, nosso olhar em relação ao mundo do trabalho mudou completamente. A forma de atender e desenvolver nossos conceitos e projetos, evoluiu. Cada conteúdo, projeto ou treinamento novo teria que instigar mais colaboração, cocriação e ter o olhar de impacto do todo que as cooperativas sempre nos ensinaram.

Como não se encantar com empresas altamente eficazes que também se preocupam, na mesma dose, com seu papel na sociedade e como sua comunidade pode ser impactada positivamente?

Ou onde tudo que é produzido retorna de várias formas pra você mesmo e para a comunidade?

Como não aprender e se sensibilizar com um sistema que tem como princípios: a adesão voluntária e livre, gestão democrática, participação econômica dos cooperados, autonomia e independência, educação, formação e informação, intercooperação, e interesse pela comunidade? Princípios e valores que formam a razão de existir de um negócio, seguidos em todo mundo e que hoje se alinham inclusive com os objetivos do milênio da ONU para o desenvolvimento sustentável.

Como não ficar impactado com cooperativas que destinam boa parte de seus resultados a projetos socioeducacionais para crianças e jovens, como parte central de seu negócio, e não como ferramenta de marketing social conveniente e provisório feito por algumas empresas?

O que esperar de comunidades e regiões onde cooperativas estimulam e desenvolvem projetos voltados ao empreendedorismo e liderança da mulher e a temas sensíveis relacionados a preconceito, assédio, equidade e oportunidade? Ver jovens e experientes mulheres unidas em busca de conhecimento e atitude, nos cantos mais distantes do país é uma dose de otimismo na veia para uma sociedade mais igualitária.

Pois é. Esse mundo existe. Nesses anos todos atendendo cooperativas concluímos que é um mundo que dá certo e evolui, justamente pelo equilíbrio que propõe. Um mundo não apenas onde todos fazem parte por norma, mas onde todos se sentem parte verdadeiramente. Senso de pertencimento real, sem propaganda enganosa, que une a todos em torno de algo maior, entre gestores, colaboradores, cooperados e a população. Cresce e se desenvolve junto com as pessoas. É inovador e sensível a causas necessárias para o mundo. Pois sabe que a inovação depende de pessoas e que o crescimento só acontece quando colaboramos uns com os outros. Onde o impacto econômico e social é parte do negócio. É mais do que um sistema ou princípio.

Cooperar é um modo de ser e sentir. Um lifestyle bom de viver e trabalhar. E para acessar o portal a esse outro mundo, basta uma palavra mágica: cooperar.

O mundo pertence aos que cooperam.




*Jean Sigel é palestrante e co-fundador da Escola de Criatividade de Curitiba.

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Troco Solidário do Fort Atacadista beneficia Associação dos Idosos de Ceilândia

A Associação dos Idosos de Ceilândia no Distrito Federal recebeu neste mês de julho o valor arrecadado pela campanha Troco Solidário que, junto aos clientes do Fort Atacadista, alcançou o valor de R$ 49.354,18. A arrecadação foi feita entre janeiro e junho deste ano.


Por conta da pandemia de Covid-19, a entrega do valor arrecadado foi feita de maneira simbólica, apenas com os representantes da instituição, com o objetivo de evitar aglomerações e seguindo todas as orientações de segurança sanitária.

“Esse novo cenário impõe desafios ainda maiores a todos e principalmente a essas instituições sociais, que dependem muito de apoio. O Troco Solidário cumpre sua missão em ser essa ponte que leva apoio e levanta a bandeira de que se todos se unirem em prol do bem comum, é possível fazer muito mais e ajudar aqueles que prestam serviços extremamente importantes a uma grande parcela da sociedade”, ressalta o gerente regional do Fort Atacadista em Brasília, William Lima.


A Associação dos Idosos é uma instituição voltada para o atendimento dos idosos de Ceilândia, no Distrito Federal. No local são ofertados cursos, atividades físicas, palestras, eventos culturais para promover interação entre os membros, assim como oferecer mais qualidade de vida aos participantes. Com a pandemia, as ações estão mais restritas, para evitar aglomerações e estão sendo oferecidas orientações de prevenção ao Covid-19 e distribuição de máscaras de proteção.

Troco Solidário - O projeto consiste na arrecadação de moedas que os clientes doam nos caixas das lojas quando fazem suas compras. O dinheiro é investido em benfeitorias de instituições, que são cadastradas, apresentando seu histórico, documentos, e são visitadas pela equipe para uma triagem. O Troco Solidário, realizado pelo Fort e pelo Comper, empresas do Grupo Pereira, desde 2007, já arrecadou mais de R$ 11 milhões de reais, que foram repassados para 300 instituições de caridade, impactando e promovendo a melhoria da qualidade de vida de mais de 250 mil pessoas, nos Estados em que o Grupo está presente.

segunda-feira, 6 de julho de 2020

Opinião:Tempos confusos



Se não souber falar, se tiver dúvidas, que o presidente se cale. Como na última semana

Por Fernando Henrique Cardoso

Tempos confusos os que temos vivido. A tal ponto que estranhamos o que aconteceu no meio da semana: chamou a atenção o fato de o governo não haver arranjado nenhuma confusão nova. Isso depois de, sem se dar ao luxo de explicar melhor ao País as razões, o presidente haver dispensado vários ministros nas pastas da Educação e da Saúde. Pelo menos até a última sexta-feira, quando escrevo este artigo, não demitiu ninguém ou ninguém se sentiu na obrigação de abandonar o Ministério. Nem mesmo se viu o presidente ou seus porta-vozes atribuírem à oposição ou a alguém mais notório o estar “conspirando”. Daí a calmaria. 

É assim que vai andando o atual governo, meio de lado. Sem que os “inimigos” façam qualquer coisa de muito espetacular contra ele, é ele próprio que se embaraça com sua sombra. De repente, quando não há nenhum embaraço novo, nenhuma “crise”, o presidente não se contém: fala e cria uma confusão.

É verdade que o governo federal não teve sorte. Não foi ele que criou a pandemia que nos aflige nem a paralisação da economia, que já vinha de antes. Mas a confusão política, desta ele se pode apropriar: foi coisa inventada pelo próprio presidente e seus fanáticos.

Por certo ela se agrava com a crise econômica e a da saúde pública. Mas o mau gerenciamento das crises e da política é o que caracteriza os vaivéns do governo Bolsonaro. No Congresso Nacional e nos tribunais (apesar de tão malfalados nos comícios pelos adeptos presidenciais) tem havido resistências à inação governamental e a suas investidas contra as instituições.

Comecemos pelo que mais importa, a saúde pública e a de cada um de nós. O governo federal desconsiderou os riscos da situação epidêmica no início e, depois, passou o bastão às autoridades locais. Compreende-se que sejam estas, mais perto das populações, a gerenciar o dia a dia. Mas o papel simbólico é sempre, para o bem e para o mal, de quem exerce a Presidência da República, tenha ou não culpa no cartório. Além disso é o que prescreve a Constituição, no seu artigo 23, sobre as competências comuns, entre as quais está a de zelar pela saúde pública, como deixou claro o Supremo Tribunal Federal (STF) em sua decisão a esse respeito.

Da mesma maneira é inacreditável que em tão pouco tempo o governo haja substituído dois ministros na pasta da Educação e que o País ainda não saiba quem será o próximo ministro. Os anteriores o pouco que fizeram foi suficiente para darmos graças por se terem afastado. Mas quem virá? E logo numa área crucial para o País.

Governo que não tem rumo nas principais áreas sociais dificilmente encontrará a lanterna mágica para nos levar a bom porto. Não são apenas pessoas mal escolhidas. É a falta de projetos, de esperança, o que nos sufoca. 

Talvez esteja aí a falta maior do presidente: ele fala como qualquer pessoa, o que pode parecer simpático. É um [ ]uomo qualunque[/ ]. Diz o que lhe vem à cabeça, como qualquer mortal. Mas esse é o engano: o papel atribuído pelas pessoas ao presidente, qualquer deles, exige que ele, ou ela, mesmo sendo simples (para não dizer simplório), não pareça ser tão comum na hora de decidir ou de falar ao povo sobre os destinos da Nação.

Em certos momentos muita gente no País pode até apreciar a semelhança entre si e o chefe de Estado. A maioria mesmo: pois não foi ele quem ganhou as eleições? Afinal o presidente, dirão, é uma pessoa como qualquer outra. Mas quando há crises é quando mais se precisa que haja comando, rumo. Talvez por isso os “homens comuns” no poder acabem por ser incomuns, singulares na sua incapacidade de definir um rumo. Quando têm personalidade autoritária, investem e esbravejam contra as instituições democráticas. No Brasil, elas têm respondido bem ao desafio. 

Onde iremos parar? Não tenho bola de cristal, mas é melhor parar logo. Se pudesse eu lhe diria: presidente, não fale; ou melhor, pense nas consequências de suas falas, independentemente de suas intenções. Sei que é difícil, afinal eu estava em seu lugar quando houve o “apagão” e também durante algumas crises cambiais. Não adianta espernear: vão dizer que a “culpa” é sua, seja ou não. E, no fundo, é sua mesma. Não se trata de culpa individual, mas política. Quem forma o governo (sob circunstâncias, é claro) é o presidente. A boca também é dele. Logo, queiramos ou não, sempre haverá quem pense que o presidente é responsável. Vox populi, dir-se-á...

É assim em nosso sistema presidencialista. E talvez seja assim nas sociedades contemporâneas. Com a internet as pessoas formam redes, tribos, e saltam as instituições. Por isso é mais necessário do que nunca que haja lideranças. Em nossa cultura e em nosso regime, já de si personalistas, com mais forte razão os líderes exercem um papel simbólico, falam pela comunidade. O líder maior é sempre o presidente, pelo menos enquanto continuar lá. Por isso é tão importante: se não souber falar, se tiver dúvidas, que o presidente se cale. Como nesta última semana. 

Melhor, contudo, é que se emende e fale coisas sensatas, que cheguem ao coração e façam sentido na cabeça das pessoas razoáveis. 


*Fernando Henrique Cardoso é sociólogo e ex-presidente da república.

sexta-feira, 12 de junho de 2020

Delmasso pede isenção de IPVA para veículos impulsionados a energia elétrica e hidrogênio



Tecnologia contribui para a preservação do meio ambiente e equilíbrio ecológico


Foto: Rogério Lopes.

Para tonar os veículos movidos a energia elétrica e hidrogênio mais acessíveis à população, o deputado Delmasso (Republicanos-DF) solicitou isenção de IPVA à secretaria de Economia. O parlamentar enviou uma minuta de projeto de lei para acrescentar um dispositivo na Lei n° 6.466/2019, que trata de benefícios fiscais do IPVA.

O parlamentar encaminhou ao secretário de Economia, André Clemente, uma minuta de projeto de lei que pretende acrescentar um dispositivo na Lei n° 6.466/2019, que “dispõe sobre os benefícios fiscais do IPVA. A minuta pede isenção em relação aos veículos automotores impulsionados a energia elétrica ou a hidrogênio, os movidos exclusivamente com estes combustíveis e também os chamados “veículos híbridos”, movidos com motores a combustão e, também, com motores elétricos ou a hidrogênio.

“Acredito que o Governo do Distrito Federal dará um passo muito significativo em direção a trazer para a população algo que acontece mundo afora. As pessoas querem utilizar e democratizar as tecnologias digitais. Ela começa com o carro elétrico, onde apresenta um crescimento do mercado e da cadeia produtiva, sendo vitrine para outros estados e um crescimento do mercado e da cadeia produtiva, sendo vitrine para outros estados e municípios”, afirma o deputado.

O Brasil tem 14.838 veículos elétricos em circulação, segundo a Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE), sendo que no Distrito Federal são 426 veículos registrados como elétricos ou híbridos. Ainda segundo a ABVE, oito Estados (Paraná, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco) e quatro cidades (São Paulo, Sorocaba, Indaiatuba e São Bernardo do Campo) isentam o IPVA como forma de estimular a venda de veículos elétricos.

Mais de 20 tipos de câncer são relacionados à obesidade infantil



A conscientização contra a obesidade infantil é fundamental já que a doença é o segundo maior fator de risco evitável para o câncer



Foto: João Batista.

“Hábitos alimentares inadequados e estilo de vida sedentário são alguns dos principais fatores que resultam na origem da obesidade”, afirma a médica oncologista clínica, Milena Aparecida Coelho Ribeiro. Segundo a pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) do Ministério da Saúde, a prevalência de pessoas obesas no País subiu de 11,8% em 2006 para 20,9% no ano passado. Significa que dois a cada 10 brasileiros estão obesos. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre a Pesquisa de Orçamentos Familiares, realizada no Brasil em 2008/2009, revelaram que 33,5% das crianças de 5 a 9 anos e 21,5% dos adolescentes de 10 a 19 anos estavam com excesso de peso.

Para Milena Ribeiro, um indivíduo obeso na infância e na adolescência tem grande risco de permanecer acima do peso na fase adulta. Como consequência, segundo a oncologista, pode sofrer uma redução na expectativa de vida por causa do aumento da probabilidade de desenvolver doenças cardiovasculares, psiquiátricas, metabólicas e oncológicas, entre outras patologias associadas ao peso elevado.




Milena Ribeiro - Foto: João Batista.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em sua Estimativa 2020 – Incidência de Câncer no Brasil, o País terá 625 mil novos casos a cada ano no triênio 2020-2022. A obesidade estará entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento de 11 dos 19 tipos mais frequentes de tumores na população brasileira, conforme a publicação. O Inca alerta que comportamentos não saudáveis como fumar, consumir bebidas alcoólicas, sedentarismo e manter dieta pobre em vegetais também aumentam o risco de 10 tipos da doença.

Milena Ribeiro aponta que mais de 20 tipos de câncer são relacionados à obesidade infantil e de 30% a 35% dos tumores são ligados aos fatores obesidade, dieta e sedentarismo. “A obesidade infantil tem sérias consequências para a vida adulta, por isso é fundamental dar importância aos alimentos consumidos pelas crianças. A atenção deve estar diretamente ligada no que elas comem”, aconselha.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 30% dos casos de ocorrência de qualquer tipo de câncer estão relacionados à obesidade – e poderiam ter sido evitados com um estilo de vida mais saudável, incluindo alimentação equilibrada e prática de atividades físicas.

Carnes processadas – linguiça, salsicha, bacon, presunto – são consideradas pela OMS categoria 1 de carcinogênicos. Refrigerantes e sucos também apresentam risco, pela grande quantidade de açúcar. E gorduras, frituras e doces também devem ser evitadas


A oncologista ressalta que uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras, cereais, grãos e outros alimentos não processados, associada a atividade física, sono equilibrado e tirar as crianças dos longos períodos da frente das telas já são algumas medidas para promover conscientização contra a obesidade infantil e as consequências da doença na vida adulta. “Apesar da data ser lembrada no dia 3 de junho, a prevenção deve ser constante, um hábito na vida de toda família”, reflete Milena Ribeiro.

quinta-feira, 11 de junho de 2020

Pesquisa mostra que 63% dos brasileiros vão mudar as comemorações do Dia dos Namorados

Casais poderão aproveitar o Festival de Vinhos do Fort Atacadista para celebrar o Dia dos Namorados


Se você acredita que o jantar à luz de velas, regado a um bom vinho e um charmoso jantar é coisa do passado, 2020 veio para resgatar as comemorações intimistas e o convívio pessoal mais acolhedor. É o que o mercado consumidor está sinalizando para as celebrações do Dia dos Namorados neste ano.

Para entender os impactos da pandemia do Coronavírus sobre o Dia dos Namorados, que acontece no próximo dia 12 de junho, o Google fez uma pesquisa on-line entre os dias 18 a 20 de maio. Os resultados mostram que o distanciamento social vai alterar a forma de celebrar a data para 63% dos brasileiros em 2020. 

Questionados sobre o que mudará na celebração de Dia dos Namorados, 35% afirmam que pretendem fazer algo juntos em casa e 20% vão preparar um jantar. Deixar de ir a restaurantes (25%) e cancelar planos de viagens (22%) também foram algumas das mudanças declaradas.

E comemorar em casa além de recomendável é mais econômico e pode ser a oportunidade para resgatar sabores e tradições que a vida pós-moderna e o ritmo acelerado deixaram esquecidos. Uma boa pedida é você mesmo montar uma cesta romântica com presentes gostosos e muito carinho. “Entre os itens, são bem-vindos o vinho, espumante ou filtrado, acompanhado de duas taças, queijos variados, salames, castanhas, fruta ou chocolates. É dia de celebrar, então a dieta permite uma exceção para o momento especial”, comenta a coordenadora de Marketing Regional do Fort Atacadista, Rafaellen Duarte.

Segunda ela, outra opção para surpreender seu namorado ou namorada é fazer um jantar romântico, prático e saboroso, como um frango ao forno com especiarias ou uma massa bem temperada. "Antes do jantar dá para fazer uma entrada com alguns canapés e bebidas até que o prato fique pronto", completa Rafaellen.


Para colaborar com os namorados, as lojas do Fort Atacadista no Distrito Federal estão com o Festival de Vinhos, até o dia 14 de junho, com várias opções de vinhos brancos e tintos, espumantes e filtrados, com preços bem atrativos para o bolso dos casais apaixonados. O vinho Mioranza (tinto ou branco) está saindo por R$ 9,99 a garrafa e o Country Winw a R$ 8,99. A rede também oferece uma variedade de queijos, salames, canapés, assim como taças. "Temos produtos para todos os bolsos e a possibilidade de dividir a compra no Vuon Card, em até quatro vezes sem juros, com parcela mínima de R$ 15,00”, garante a coordenadora.

As unidades do Fort Atacadista no Distrito Federal, vão funcionar normalmente no feriado de Corpus Christi das 7h às 22h. A rede cumpre todos os protocolos de biossegurança contra o Coronavírus. Confira os endereços:

Sol Nascente | DF | Quadra QNP 27 Área Especial 01 S/N
Taguatinga| DF | Setor M Norte Qd. 1 Cj. A Lt. 1 – Av. Hélio Prates com M Norte
Ceilândia| DF | CNN 1 S/N | Centro


Hellen Quida
Assessora de Imprensa Fort Atacadista

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Delmasso convoca reunião virtual com as Comissões de Aprovados das Carreiras Públicas do DF

Deputado quer discutir autorização para convocação em 2021 dos aprovados em concurso


Foto: Rogério Lopes.


No dia 15 de maio, o Governo do Distrito Federal (GDF) encaminhou à Câmara Legislativa, o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 2021. Com data limite para votação no dia 30 de junho, o deputado Delmasso quer incluir no Anexo IV da LDO, autorização para convocação de aprovados em concurso público.

O Anexo IV da LDO, que trata das Despesas de Pessoal Autorizadas a Sofrerem Acréscimos, será o tema da reunião, de iniciativa de Delmasso. “Queremos discutir com todas as comissões de aprovados em concursos públicos esta inclusão de autorização no Anexo IV, para que possamos garantir em 2021, a nomeação dos aprovados em concursos vigentes atendendo os requisitos da Lei Complementar Federal no. 173/2020", explica o parlamentar.

SERVIÇO: Reunião virtual com as Comissões de Aprovados das Carreiras Públicas 
DATA: 08/06
HORA: 15h
PLATAFORMA: Zoom, ID da reunião: 518 899 8204, senha: APROVADOS


terça-feira, 2 de junho de 2020

DF poderá ter Política de Reciclagem de Veículos

Retirada de carcaças e renovação da frota estão entre os objetivos da proposta de autoria do deputado distrital José Gomes



Promulgada Lei de Delmasso sobre medidas emergenciais contra a COVID-19

Obrigatoriedade de compartilhamento de dados entre os órgãos competentes e medidas de prevenção ao coronavírus


Foto: Rogério Lopes.

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Fort Atacadista aceita cartão de auxílio emergencial como forma de pagamento

Os consumidores brasilienses agora podem fazer suas compras no Fort Atacadista e pagar com o cartão de auxílio emergencial do Governo Federal. A medida vai gerar mais comunidade e facilidade para os clientes e começa a funcionar nas três lojas da rede hoje, dia 26 de maio. A novidade foi implementada em todas unidades do Brasil. O objetivo é ajudar a reduzir o número de pessoas nas filas de agências bancárias e lotéricas, evitando assim aglomerações.

Para fazer o pagamento, o cliente precisa apenas baixar o aplicativo CAIXA Tem, gerar um código e apresentar diretamente para o operador de caixa, quando finalizar o pagamento. “Com essa iniciativa, não é necessário ir até uma agência sacar o dinheiro. Tudo é feito com segurança e pelo celular, para que os clientes aproveitem as ofertas com mais conforto e agilidade”, avalia o gerente de marketing do Fort Atacadista, Celso Furtado.


A nova opção de pagamento é uma oportunidade para quem quer economizar, já que os atacarejos apresentam produtos com preços mais acessíveis ao consumidor. No Fort, é possível encontrar no setor de frutas, legumes e verduras produtos frescos e selecionados. Em Brasília, na loja Sol Nascente, há promoções também do Açougue Carne Fresca, setor com mais de 40 opções de cortes.

Outra alternativa econômica para os clientes é a utilização do Vuon Card, cartão de crédito próprio da empresa. As compras a prazo, podem ser pagas em até 40 dias, dependendo da data da compra. Além disso, o consumidor tem acesso a alguns itens nas gôndolas com preços menores que os vendido à vista, exclusivos para quem tem o cartão. 

O horário de funcionamento em todas as lojas, é de segunda a sábado das 7h às 22h, e aos domingos das 8h às 20h. Em Brasília, as lojas do Fort Atacadista ficam localizadas nos seguintes endereços:

- Fort Atacadista 175: Sol Nascente | DF | Quadra QNP 27 Área Especial 01 S/N
- Fort Atacadista 138: Taguatinga | DF |
SDE Setor M Norte Qd. 1 Cj. A Lt. 1 – Av. Hélio Prates com M Norte | Taguatinga Norte
- Fort Atacadista 75: Ceilândia| DF | CNN 1 S/N | Centro

Fotos: Buzz Filmes

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Motoristas e cobradores de ônibus somam seis mortes e 27 casos de infecção pelo novo coronavírus no DF

Mesmo com a obrigatoriedade do uso de máscaras, passageiros e trabalhadores do sistema público de transporte estão expostos ao novo coronavírus

Foto: Marcos Paulo,

Atualmente, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Terrestre do DF (Sittraer-DF), seis rodoviários morreram em decorrência do vírus e outros 27 foram infectados. Com mais de seis mil casos de coronavírus no Distrito Federal, algumas medidas governamentais tornam-se cada vez mais necessárias para evitar uma escalada ainda maior de contaminação.

Na quarta-feira, 20, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), sancionou a Lei nº 6.577, que obriga as empresas concessionárias a higienizar os ônibus a cada vez que o veículo chegar ao terminal. O texto, de autoria do deputado distrital, Robério Negreiros (PSD), determina que a higienização deve ser feita nos pontos de contato com as mãos dos usuários, no sistema de ar-condicionado e na parte externa, onde deve ser realizada, ao menos uma vez ao dia, com água e sabão, durante todo o período de pandemia da covid-19.

De acordo com o deputado, mesmo com a obrigatoriedade do item de segurança, passageiros e trabalhadores do transporte público convivem com o risco de serem infectados pelo vírus. A norma visa diminuir os riscos de contaminação com a COVID-19. “O fato é que, neste momento, se faz necessário o planejamento e a implementação de ações que visem mitigar os riscos de contaminação. 

Um estudo do Instituto Nacional de Saúde, agência do governo dos Estados Unidos, revelou que o novo coronavírus pode sobreviver fora do organismo humano por várias horas ou até três dias em determinadas superfícies. Daí a importância em manter sempre limpos os espaços com intenso trânsito de pessoas e garantir a segurança dos usuários e dos funcionários”, frisou Robério Negreiros.

Análise de projetos contra incêndio e pânico passa a ser online no DF



A partir desta semana, a análise e aprovação de projetos de incêndio e arquitetura realizadas pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) passa a ser integralmente digital


Imagem: Pedro Paulo.

A mudança vinha sendo implementada, com parte da documentação sendo enviada digitalmente. A antecipação do processo final ocorreu a fim de evitar aglomerações nos setores que recebiam os documentos impressos por conta do atual cenário pandêmico.


“A implementação do processo vinha sendo feito de forma gradativa, há cerca de dois anos. Antes disso, todo o processo era feito com a entrega da documentação de forma impressa, inclusive os projetos”, explicou o chefe da Seção de Análise de Projetos do CBMDF, o tenente-coronel Luiz Santana.

Os projetos contra incêndio e pânico prevê a instalação de hidrantes, chuveiros automáticos, detecção de Incêndio, para–raios, sistema de extintores e, ainda, sinalização, iluminação e saída de emergência.

Além de facilitar o processo interno da corporação, o novo modelo gera economia para o usuário, que não terá que se deslocar até a seção de projetos, localizada na Unidade do Cruzeiro, e nem fazer impressões, pois no caso de reprovação era necessário fazer uma nova impressão de toda a documentação com os ajustes.

“Com a aprovação do projeto, o solicitante receberá um QR Code que somente poderá ser lido exclusivamente pelo aplicativo desenvolvido pela corporação. Desta forma, além da segurança de dados, todos os documentos poderão ser acessados a qualquer tempo, sem o perigo de serem perdidos e sem correr risco de ter que ser iniciado novamente”, explicou Santana.

O novo formato facilita também a vistoria para emissão do Habite-se e Licença de Funcionamento, documento necessário para funcionamento de qualquer atividade, seja com público ou não. O bombeiro responsável pela fiscalização não precisará mais levar até a edificação os projetos impressos, mas apenas um tablete da corporação ou mesmo pelo celular, como afirma o tenente-coronel. “Após a aprovação da vistoria, o próximo passo é a liberação do Habite-se, essencial para que o local seja habitado, e na sequência a liberação do funcionamento. Todos esses pontos terão mais celeridade, pois toda a documentação poderá ser acessada online”.


Para facilitar a uniformização dos serviços, o CBMDF disponibilizou um tutorial com o formato para o envio da documentação, que poderá ser conferido neste link.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

É calçada para todo lado no DF

Dez regiões administrativas ganharam esse equipamento urbano no primeiro semestre. Novacap já investiu mais de R$ 1,5 milhão em 167 mil metros quadrados


Fotos: Lúcio Bernardo Jr.

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) construiu, desde o o início do ano, 167 mil metros quadrados de calçadas, que ajudam a promover a harmonia entre carros e pedestres em meio ao trânsito nas cidades. Com esse trabalho, o Governo do Distrito Federal tem contribuído para o bom convívio entre máquinas e pessoas.

As obras estão por toda parte. De acordo com a Novacap, foram investidos mais de R$ 1,5 milhão. Só em Samambaia, este ano, a companhia entregou mais de mil metros quadrados de passeio público aberto entre as árvores das quadras 431 e 550.

Samambaia não foi, porém, a única contemplada com o equipamento público. Conforme a tabela de obras realizadas pela Novacap, outras dez regiões administrativas ganharam calçadas neste primeiro semestre: Santa Maria, Ceilândia, Brazlândia, Plano Piloto, Taguatinga, São Sebastião, Jardim Botânico, Octogonal, Recantos das Emas e Águas Claras.

O serviço é de competência da Diretoria de Urbanização, gerida pelo diretor Sérgio Antunes Lemos. Em alguns casos, como nas QNOs 5 e 7 de Ceilândia, a calçada teve de ser reconstruída devido ao mau estado de conservação em que se encontrava. Agora, de um lado e do outro do canteiro central que divide as duas quadras, há calçada suficiente para pedestres não precisarem se arriscar em meio ao fluxo intenso de veículos vindo da BR-070, um risco para os moradores.

Que o diga Sebastião Valter Fernandes da Silva, 32 anos. O morador da quadra conta que quase foi atropelado certa vez ao tentar caminhar entre os carros. Risco que não corre mais. Sebastião elogiou o tamanho das calçadas. “Bem melhor do que estava antes. São mais largas. Eu costumo ir para o parque (Recreativo do Setor O) a pé ou de bicicleta. Antes era um desafio passar aqui”, relata.

A verba investida na construção de calçadas em Ceilândia foi de R$ 3,4 milhões. As obras ainda não acabaram. Quem passar pela QNP 18, por exemplo, certamente notará que, ao longo dos conjuntos A e K, homens e tratores trabalham diuturnamente na construção de 600 metros quadrados de calçadas.

O “calçadão”, como já é chamado pela vizinhança, foi construído paralelamente à ciclovia. Esta era justamente uma queixa dos moradores. Os pedestres reclamavam que não era nada seguro dividir a pista para ciclistas.Helen Nunes Silva, 32 anos, moradora do conjunto H, aprovou a iniciativa do governo. 

“A gente corre risco de ser atropelado andando na ciclovia por algum ciclista. Eles andam numa velocidade alta”, reclama Helen Nunes Silva, 32 anos. Acompanhada da filha Vitória Nunes, 14, a moradora do conjunto H aprovou a inciativa do governo de dedicar uma passagem exclusiva para pedestres.

Enquanto não fica pronta, a obra na QNP 18 virou atração para a criançada. Alguns já se veem caminhando ali. É o caso do estudante Breno Martins Silva Araújo, 14, que mora em frente, no Conjunto J. “Vou poder andar com meu irmãozinho, de oito anos. Na ciclovia era muito perigoso”, fala.


























Fotos: Lúcio Bernardo Jr.

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Pesquisa mostra que 50% das famílias brasileiras mudaram hábitos de consumo

A quarentena motivada pelo Coronavírus já está modificando os hábitos de consumo das famílias em todo o mundo. A tendência é que essas mudanças que passam tanto pelo setor de alimentos, quanto pelos supermercados e na rotina dos lares, permaneçam mesmo depois do tão esperado fim da pandemia.
De acordo com uma pesquisa da Nielsen Brasil, os latino-americanos, incluindo 50% das famílias brasileiras, mudaram drasticamente os hábitos de consumo, com grandes aumentos nas compras de despensa e limpeza. Itens básicos para cozinhar em casa, como arroz, feijão, farinha, óleo e produtos frescos, como frutas e legumes, tiveram significativo aumento na procura pelos consumidores. Entretanto, a ida aos estabelecimentos, segundo a pesquisa, caiu 6,5% na última semana de março, em contrapartida, o número de itens no carrinho de compras subiu 22%.

“As pessoas estão cozinhando mais em casa, optando por frutas e legumes. Mas também percebemos que houve aumento do ticket médio de produtos para as crianças, como chocolates, iogurtes, salgadinhos e biscoitos”, avalia o gerente do Fort Atacadista em Brasília, Willian Lima.
A constatação do gerente reflete que mesmo diante da recessão provocada pelo Coronavírus, as famílias não deixam de adquirir alguns “mimos”, principalmente porque as crianças estão em casa.
Lima, afirma ainda que o consumo de produtos de limpeza, como água sanitária, cloro e álcool gel também tiveram considerável aumento. “A mudança de consumo é perceptível, os clientes tentam comprar mais rápido, tem mais pressa, mesmo com todas as medidas de prevenção adotadas”, esclarece.
O Fort Atacadista, com três unidades em Brasília, Taguatinga, Ceilândia e Sol Nascente passou a operar seguindo todas as recomendações de higienização dos órgãos oficiais, como marcações de distanciamento nas filas, uso de máscaras, limpeza frequente de carrinhos e disponibilidade de álcool gel e pia para lavagem das mãos. Também foram colocados painéis de acrílico para aumentar a proteção entre funcionários e clientes.
As unidades do Fort no Distrito Federal funcionam de segunda à sábado, das 07 às 22h e aos domingos das 07h às 20h, nos seguintes endereços.

- SOL NASCENTE | DF | Quadra QNP 27 Área Especial 01 S/N
- TAGUATINGA | DF | FORT ATACADISTA 138
SDE Setor M Norte Qd. 1 Cj. A Lt. 1 – Av. Hélio Prates com M Norte | Taguatinga Norte
- CEILÂNDIA | DF | FORT ATACADISTA 75
CNN 1 S/N | Centro

Foto: Buzz Filmes

quinta-feira, 7 de maio de 2020

Dia das Mães: Em tempos de pandemia, união familiar e abraços virtuais

Como um ano atípico, 2020 entra para a história do varejo brasileiro como um período em que a celebração do Dia das Mães traz um convite para a união e fortalecimento dos laços familiares. Pensando que muitas famílias terão de lidar com esse desafio de comemorar o Dia das Mães à distância, devido às orientações sobre o contato com pessoas de risco, como as acima de 60 anos, o Fort Atacadista separou dicas para tornar o domingo das mães, um dia animado e gostoso.


Para quem tem mãe em casa, boa hora para se antecipar às compras de mercado e carinhar as mães com refeições especiais, preparadas com apreço e temperadas com o amor, ingrediente que toda mãe reconhece como essencial na vida. Para a caixa de presentes daqueles que, por conta do distanciamento social, não poderão abraçar suas mães, a dica é programar um café da manhã para mãe e filhos e compartilhar via chamada de vídeo. Essa conexão poderá ser divertida, ainda mais se combinarem o mesmo cardápio a ser saboreado. O uso da tecnologia pode trazer leveza e registrar o momento com um “print” garantirá fotos inéditas e boas risadas no futuro.

Mas ainda dá tempo para escolher os itens que ela mais gosta e compor uma linda cesta com frutas, biscoitos, doces, delícias e claro, flores. A entrega pode ser delivery, no auge da tendência da quarentena. Lembre-se de enviar um bilhetinho transmitindo-lhe alegria, entusiasmo e gratidão.

Com a quarentena, as comemorações ficam mais simples e precisam de criatividade para dar à data um toque especial e marcante. Quem tem irmãos, pode inventar uma festa virtual, por vídeo chamada, como se fosse presencial. Oportunidade para contar as novidades e fazer uma gincana, onde cada uma diz o que gostaria de fazer quando a pandemia acabar. A animação pode ser regada, cada um na sua casa, com petiscos, vinhos e receitas gostosas que a mamãe ensinou. Ao final, o dia guardará boas lembranças, de um tempo difícil, porém vivido com garra e esperança.


Neste final de semana, as três unidades do Fort Atacadista estarão abertas, com horário regular: Sábado, das 07 às 22h e Domingo, das 07 às 20h, nos seguintes endereços:

- SOL NASCENTE | DF | Quadra QNP 27 Área Especial 01 S/N
- TAGUATINGA | DF | FORT ATACADISTA 138
SDE Setor M Norte Qd. 1 Cj. A Lt. 1 – Av. Hélio Prates com M Norte | Taguatinga Norte
- CEILÂNDIA | DF | FORT ATACADISTA 75
CNN 1 S/N | Centro

segunda-feira, 4 de maio de 2020

Sanciona Ibaneis: PLC35 do Auxílio Emergencial Distrital


Salário mínimo para os desempregados pelo coronavírus


No dia 14 de abril foi aprovado em segundo turno no plenário da Câmara Legislativa o Projeto de Lei Complementar 35/2020, de autoria do vice-presidente da Casa, deputado Delmasso (Republicanos-DF). O projeto cria o Benefício Emergencial de Preservação da Renda para os trabalhadores que foram demitidos em função da crise financeira advinda da pandemia de Covid-19 .

Para os desempregados receberem esta ajuda falta agora a sanção do governador, Ibaneis Rocha. Diferentemente do coronavoucher e outros auxílios do governo que amparam autônomos, pessoas de baixa renda, inscritos no cadastro único e microempreendedores, o benefício proposto pelo deputado Delmasso será exclusivamente pessoas que perderam o emprego em função da pandemia de coronavírus. A medida vai beneficiar 16.586 pessoas que perderam os empregos no Distrito Federal.

O valor do benefício será de um salário mínimo, R$ 1.045,00, repassado em três parcelas. A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação desenvolverá um aplicativo para os cadastros dos desempregados, a Secretaria do Trabalho vai validar as informações e a Secretaria de Economia efetuará os pagamentos via Banco de Brasília (BRB).

Elber Santana Alves, de 21 anos, ex-agente de negócios da Motorola foi dispensado do trabalho, dia 1º de abril. Segundo Elber, outros cinco colegas também foram mandados embora. “Esse auxílio será muito importante para nós, pois dependíamos do nosso salário e não sabemos agora quanto tempo vai durar esta quarentena. Minha mãe também está afastada do trabalho pelo mesmo motivo, então este benefício proposto pelo deputado Delmasso vai ajudar muito”.


O Plano Emergencial de Manutenção da Renda tem os objetivos de: preservar a renda das famílias e reduzir o impacto social por causa das consequências do estado de calamidade pública e de emergência da saúde pública. O benefício será custeado com R$ 52 milhões oriundos do Fundo de Apoio à Pesquisa (FAP-DF).

Projeto de lei estabelece que a coleta de lixo no interior dos condomínios horizontais do DF seja feita pelo SLU



Com o objetivo de estabelecer a coleta de lixo no interior dos condomínios horizontais do DF, o deputado distrital, João Cardoso (Avante), apresentou o PL n°1147/2020, que já foi aprovado em 1° turno pela Câmara Legislativa do DF nesta quinta-feira (30/04), e deve ser aprovado amanhã (05/05) em segundo turno, e enviado ao governador Ibaneis Rocha (MDB), para virar lei


A proposta tem por finalidade assegurar tratamento isonômico para os moradores dos condomínios horizontais do Distrito Federal, que pagam IPTU e TLP justamente para serem atendidos adequadamente no que diz respeito aos serviços públicos que são prestados à população, nesse caso específico a coleta de resíduos sólidos, que embora tendo o direito não são contemplados como deveria. 

Cardoso afirmou que essa lei é esperada por muito tempo. "Há décadas os síndicos e moradores de condomínios vêm reclamando ao GDF com relação a coleta dos resíduos sólidos por eles produzidos, mas mesmo cumprindo fielmente com suas obrigações tributárias, não são atendidos com a eficácia a que fazem jus, tanto como contribuintes, tanto como cidadãos, o que não se justifica sob nenhum aspecto. Ressalte-se que diversos serviços públicos adentram os condomínios, entre os quais citamos os prestados pela CEB, CAESB, além das distribuidoras de gás de cozinha e entregas de alimentos, entre outros", comentou o deputado.

O presidente do SindiCONDOMÍNIO-DF, Antonio Carlos Paiva, comentou que o sindicato vive um novo tempo e está atento as demandas do setor condominial. "O SindiCONDOMÍNIO-DF atento as questões de sua representação sindical, determinou ao assessor jurídico da entidade uma análise do PL e apresentou uma proposta de emenda ao PL n°1147/2020, com a intenção de evitar que interpretações restritivas impedissem que o PL não contemplasse os condomínio em regularização e que foram regularizados como loteamento", finalizou o presidente da Diretoria Executiva do SindiCONDOMÍNIO-DF.

Constituição Cidadã determina em seu art. 225 que: "Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações". 

O assessor jurídico do SindiCONDOMÍNIO-DF, Delzio Junior, falou que a nova lei deve atender bem aos condomínios de casas do DF. "Com o acolhimento da emenda proposta pelo sindicato, a futura lei irá atender os anseios de toda a população que habita nos condomínios horizontais do DF", falou.

Por sua vez, a Lei Federal nº 12.305/2010 é clara ao firmar no § 1º do seu art. 1º que estão sujeitas ao cumprimento dos seus mandamentos as pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, responsáveis, direta ou indiretamente, pela geração de resíduos sólidos e as que desenvolvam ações relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos.

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Abre e fecha no feriado: Fort Atacadista funciona normalmente neste Dia do Trabalhador

A rede de atacarejos Fort Atacadista abre suas portas normalmente neste feriado do Dia do Trabalhador. Além disso, promove campanha de arrecadação de alimentos, material de limpeza ou higiene pessoal para ajudar entidades e famílias em situação de risco. Esse é o foco da campanha “Chega Junto para Doar”, que o Fort Atacadista realiza até o dia 31 de maio nos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Santa Catarina e Distrito Federal. No Distrito Federal, a ação acontece em parceria com a Rádio Clube FM, 105,5.

Quem quiser participar, pode comprar na hora ou mesmo trazer de casa. “Estamos arrecadando alimentos não perecíveis, itens para higiene e limpeza. Sabemos que esse momento é de união e solidariedade. Com a ajuda de todos, podemos fazer a diferença na vida de muitas pessoas”, afirma o gerente nacional de marketing do Fort Atacadista, Celso Furtado.


Os pontos de coletas estão distribuídos nas unidades do Distrito Federal. As doações serão destinadas para atender as demandas mais emergenciais de famílias e entidades de ajuda humanitária. O material arrecado, será organizado e entregue as instituições pelas rádios. A rede do Fort Atacadista irá acompanhar e a entrega será feita via Live da rádio e do Fort.

FERIADO DIA DO TRABALHADOR -  As unidades do Fort no Distrito Federal irão funcionar normalmente neste dia 1º de maio, das 7h às 22h. 

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Vice-presidente da Câmara Legislativa pede calma no retorno às atividades

Distrital destaca importância de transição do isolamento para a flexibilização das restrições


O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos), defendeu a flexibilização das restrições do comércio na capital. O parlamentar destacou que é preciso fazer uma transição de isolamento, autorizando o retorno das atividades econômicas, gradativamente, para então chegar ao isolamento vertical, no qual apenas as pessoas em grupo de risco ficam de quarentena.

O tema foi discutido em entrevista no programa CB.Poder — parceira do Correio com a TV Brasília. O distrital destacou, também, a importância dos servidores públicos para recuperar a economia após a pandemia e analisou positivamente a aproximação do governador Ibaneis Rocha (MDB) com o presidente Jair Bolsonaro.

1-) Como o senhor está vendo essa decisão do governo do DF de reabrir o comércio? O senhor também está propondo a reabertura dos templos religiosos. Como avalia isso?

O governo precisa fazer uma espécie de transição. Começou com modelo de isolamento horizontal, ou seja o isolamento social de todos para evitar o contágio, e agora é necessário que se faça a transição para o isolamento intermitente, abrindo aos poucos as atividades econômicas, principalmente aquelas que não geram aglomeração de pessoas, até que se chegue ao isolamento vertical, isolando somente a população de risco. Em relação aos templos religiosos, nós tivemos uma reunião com o chefe da Casa Civil e sugerimos alguns critérios para autorizar a realização de celebrações presenciais. A nossa proposta está de acordo com a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS): distanciamento de quatro metros quadrados (dois de cada lado), uso de máscara, a disponibilização de álcool em gel na entrada, além da orientação de membros acima de 60 anos e crianças abaixo de 10 não frequentem as celebrações durante esse período.
Continua depois da publicidade


2-) E as escolas? É preciso dar um tempo maior para a reabertura? Qual a sua opinião?
A Comissão de Educação da Câmara fez uma reunião com os pais das escolas militares, que foram citados inicialmente nessa reabertura. Todos os pais foram contrários à abertura das escolas neste momento, mas o governador foi a público explicar que ele pediu à Secretaria de Educação um estudo, em 10 dias, para saber como voltar às aulas com segurança em 31 de maio. Da mesma forma que outros setores da economia estão abrindo, é importante a educação também ter um plano. Para mim, o prazo vai depender muito dos números. No DF não teve aquele o aumento que se esperava. Isso porque nós nos antecipamos nas medidas e estamos colhendo os frutos dessa antecipação.

3-) Mas a gente não coloca em risco todos os ganhos?
Acredito que não. O governo está fazendo, paralelamente, a testagem em massa. Com isso, a gente consegue isolar quem está com o vírus e liberar quem está saudável. Mas, claro, o retorno de qualquer atividade precisa ter um plano de contingência e os cuidados com a biossegurança.

4-) O que a Câmara Legislativa tem feito nesse período de pandemia?
Queria destacar alguns projetos de lei que foram aprovados e estão aguardando a sanção do governador: o que estabelece o método de negociação das mensalidades escolares; o de criar o plano emergencial de manutenção da renda, um benefício de um salário mínimo durante três meses para trabalhadores que perderam o emprego, por causa da pandemia — esse benefício não vai gerar nenhum ônus ao governo, porque será remanejado um recurso da Fundação de Apoio à pesquisa; e o terceiro, é o que obriga a utilização de máscaras para todos no DF — além de outras propostas relacionadas à higienização do transporte público. A Câmara tem aprovado, por sessão remota, em média, 20 projetos de lei. Realizamos seis ou sete sessões, devemos estar com mais de 140 projetos aprovados.

5-) Sobre a aproximação do governador com o presidente, como o senhor avalia?
Avalio como uma estratégia muito inteligente de ambos os lados. O presidente está se aproximando do governador da capital da República e o governador Ibaneis se aproximando do presidente, dono do Fundo Constitucional do Distrito Federal, que paga a nossa segurança, saúde e parte da educação.

6-) O governo editou uma medida provisória facilitando as negociações das empresas do setor privado, reduzindo os salários em 25%. Os servidores precisam dar a cota deles? 
Até agora nada foi feito em relação ao funcionalismo. Eu acredito que a gente precisa fazer essa avaliação com muita cautela. Na minha visão, a grande mola propulsora para o retorno do crescimento da economia vão ser os investimentos públicos. O governo vai precisar fazer investimentos em obras, em infraestrutura. E cortar salário de servidor neste momento não é inteligente. É ele que vai pegar esse recurso público e colocar no mercado. Se você cortar o salário dele, esse recurso vai ficar parado em algum lugar.

Com informações do Correio Braziliense.

Melhores da semana